O azeite

 

 

TIPO DE PLANTA: Olea Europea, Oleaceae

ORIGEM: Espanha, Marrocos, Turquia, Grécia e Itália

USOS: Antibacteriano, Anti-Oxidante, Hidratante, Antirrugas, Rico em Vitaminas.

 

História

O azeite é uma gordura líquida obtida a partir de azeitonas (fruto da família Olea europaea; família Oleaceae), uma planta tradicional da bacia do Mediterrâneo. O azeite é produzido prensando azeitonas inteiras.

É comumente usado na culinária, para fritar alimentos ou como molho para salada. Ele também é usado em cosméticos, produtos farmacêuticos e sabonetes, e como combustível para lâmpadas de óleo tradicionais, e tem usos adicionais em algumas religiões. Há evidências limitadas de seus possíveis benefícios à saúde.

A azeitona é uma das três principais plantas alimentares da cozinha mediterrânea; os outros dois são trigo e uvas. As oliveiras são cultivadas em todo o Mediterrâneo desde o oitavo milênio aC.

Os cinco maiores produtores de azeite em volume são Espanha, Marrocos, Turquia, Grécia e Itália. No entanto, o consumo nacional per capita é mais alto na Grécia, seguido pela Espanha e Itália.

A composição do azeite varia de acordo com a cultivar, altitude, época de colheita e processo de extração. Consiste principalmente em ácido oleico (até 83%), com menores quantidades de outros ácidos graxos, incluindo ácido linoléico (até 21%) e ácido palmítico (até 20%). O azeite virgem extra deve ter uma acidez livre não superior a 0,8% e é considerado como tendo características aromáticas favoráveis.

Usos na história

O azeite de oliva tem uma longa história de uso como remédio para cuidados domésticos. Os egípcios a usavam junto com a cera de abelha como limpador, hidratante e agente antibacteriano desde os tempos faraônicos.

Na Grécia antiga, o azeite de oliva era usado durante a massagem para prevenir lesões esportivas e aliviar a fadiga muscular.  Em 2000, o Japão era o principal importador de azeite na Ásia (13.000 toneladas por ano), porque os consumidores acreditam que tanto a ingestão e aplicação tópica de óleo de oliva são benéficos para a pele e Saúde.

O azeite de oliva é popular na massagem de bebês e crianças pequenas, mas as evidências científicas de sua eficácia são conflitantes. Uma análise do azeite de oliva em comparação com o óleo mineral descobriu que, quando usado para massagens infantis, o azeite de oliva pode ser considerado uma alternativa segura aos óleos de girassol, semente de uva e coco fracionado. Isso é especialmente verdadeiro quando misturado com um óleo mais leve, como o de girassol, que "teria o efeito adicional de reduzir os já baixos níveis de ácidos graxos livres presentes no azeite de oliva". Outro estudo afirmou que o azeite de oliva reduziu o risco de dermatite para bebês em todas as fases da gestação em comparação com o creme emoliente. No entanto, outro estudo em adultos descobriu que o tratamento tópico com azeite "danifica significativamente a barreira da pele" em comparação com o óleo de girassol e pode piorar Dermatite atópica existir. Os pesquisadores concluíram que devido ao resultado negativo em adultos, não recomendam o uso de azeite de oliva para o tratamento de pele seca e massagem infantil. 

Aplicar azeite de oliva na pele não ajuda a prevenir ou reduzir as estrias. 

Benefícios e usos

Antibacteriano

O azeite de oliva demonstrou ter propriedades antibacterianas. No entanto, existem poucos estudos sobre a capacidade do azeite de oliva de controlar bactérias na pele.
Um pequeno estudo examinou os efeitos do uso de azeite e óleo de coco nas bactérias Staphylococcus aureus na pele. Os resultados descobriram que ambos os óleos tinham propriedades antibacterianas, mas o óleo de coco virgem foi mais eficaz em matar bactérias.
No entanto, às vezes o azeite pode ser usado para tratar infecções bacterianas da pele. Também pode melhorar a cicatrização em pessoas com úlceras nos pés causadas por diabetes tipo 2.

Hidratante

O azeite de oliva é um hidratante natural popular, frequentemente usado para amaciar a pele e o cabelo. No entanto, existem poucas pesquisas sobre sua eficácia.

Antioxidante

O azeite de oliva atua como antioxidante, uma substância que impede a oxidação. A oxidação é um processo que pode produzir radicais livres, que são produtos químicos que podem danificar as células e contribuir para o desenvolvimento do câncer.
Quando aplicados na pele, os antioxidantes podem prevenir o envelhecimento prematuro. Além disso, algumas pesquisas sugerem que a aplicação de azeite de oliva na pele após a exposição ao sol pode combater as células cancerosas.
No estudo, os cientistas aplicaram o óleo na pele de ratos que foram expostos a raios ultravioleta (UV) potencialmente prejudiciais. O crescimento do tumor foi significativamente menor em ratos que tinham azeite de oliva na pele do que naqueles que não tinham.
Os cientistas precisam realizar pesquisas adicionais nesta área para compreender os efeitos das propriedades antioxidantes do azeite de oliva na pele humana

Teor de vitamina

O azeite de oliva contém o vitaminas A, D, E e K. lipossolúveis. Algumas dessas vitaminas podem ser benéficas para a pele.

Por exemplo, as pessoas usaram óleo de vitamina E topicamente ao longo da história para tratar uma variedade de doenças de pele, incluindo psoríase e eczema.

Ruga

Graças ao seu conteúdo antioxidante, o azeite pode reduzir o envelhecimento da pele e as rugas. O óleo pode ser espalhado ao redor da área dos olhos à noite ou após a exposição ao sol.

Anti-cicatriz regeneradora

As vitaminas e outros antioxidantes do azeite de oliva podem atenuar as cicatrizes, ajudando as células da pele a se regenerarem.
Basta massagear as cicatrizes com o óleo não diluído ou misturá-lo com suco de limão para tratar as áreas de hiperpigmentação, onde a pele escureceu devido às cicatrizes.
O azeite de oliva também pode ser usado para prevenir ou tratar estrias, embora estudos sobre sua eficácia tenham encontrado resultados conflitantes.

português
Language
português
  • Deutsch
  • English
  • Español
  • français
  • Italiano
  • português
Currency